Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 10 de março de 2011

Dá pra melhorar

 

Sempre dá pra melhorar, Palestrinos.

Apesar de ser uma máxima-clichê para o futebol – e, por que não?, para a vida – a frase acima cabe muito bem ao nostro atual Palmeiras. Time de altos e baixos, de medíocre pra bom, que é capaz de nos surpreender positivamente em alguns momentos e de nos armargurar em tantos outros.

Eu mesmo já escrevi aqui por diversas vezes que 2011 tem sido mais positivo do que negativo dentro de campo. Afinal, mesmo com a fragilidade dos times do interior, eu jamais imaginaria estar no topo da tabela, ao lado de rivais com melhor elenco e condições (sem complexo de vira-latas, apenas sejamos honestos). A folha de pagamento foi reduzida, apostas foram feitas e o time foi ganhando uma cara.

No entanto, após algumas partidas e alguns surtos, já deu pra perceber algumas coisas:

  • Kleberdependência: por mais que o time tente se virar sem o Gladiador, o fato é que o ataque perde 200% sem o camisa 30 em campo. Felipão tentou Miguel e Vinícius, mas ainda não encontrou o substituto ideal.
  • Mago melhorando, Assunção caindo: se por um lado Valdívia vem mostrando progresso a cada jogo (só precisa soltar mais rápido a bola quando está longe do gol), nostro Kid Bengala deu uma caída este ano. Ainda deve ser titular (e ter seu contrato renovado), mas está claro que 2010 não será repetido.
  • Tinga e Luan, os sem-função: um pela direita, outro pela esquerda, Tinga e Luan estão completamente perdidos em campo. Com a volta de Gabriel Silva à lateral, Luan pode voltar ao banco tranquilamente; enquanto que Tinga pode dar lugar tanto a Patrik quanto a mais um atacante.
  • Zagueiro-zagueiro: acredito que Felipão já percebeu isso, mas vale a pena ressaltar que Danilo e Maurício Ramos precisam jogar como zagueiros e não como meias. Thiago Heleno, que é mais fraco que os dois, joga sério e não tem comprometido com seus bicões pra frente.
  • Base que ajuda: Patrik, Gabriel Silva, Vinicius, Miguel… nostra categoria de base não é a solução, mas tem ajudado demais. Por isso – e até por questões financeiras – a entrada destes atletas tem sido providencial e será ainda mais até o final do ano.
  • Primeiro volante: podem me chamar de conservador, mas gosto de ter um volante marcador em campo. Pode ser João Vitor ou Chico, mas é preciso alguém que auxilie a zaga de verdade. Assunção e Márcio Araújo são segundos volantes e saem muito pro jogo, deixando os zagueiros desprotegidos.

Em suma, falando do que acontece dentro das quatro linhas, acho que é isso. Se você tem alguma outra sugestão ou crítica, vá em frente, comente e vamos fazendo um Verdão melhor.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Anúncios

Read Full Post »

Vitória dos erros

Alívio, Palestrinhos, alívio!

Pela quarta partida consecutiva ficamos com um a mais em campo e sofremos absurdos para conseguir atacar, mas, dessa vez, ao menos saimos de campo com a vitória. Méritos de quinze minutos inspirados de Valdívia e de um Noroeste que recuou demais, ainda que o Palmeiras errasse todos os passes possíveis e imagináveis. Valeu pelos 3 pontos, mas ainda cabem ajustes.

O JOGO
Ainda sem Kléber, o Verdão entrou em campo apenas com Adriano MJ na frente, esperando que Luan, Tinga e Valdívia chegassem de trás. O problema é que o Mago estava bem marcado e que as outras três esperanças estavam em uma noite pífia. Assim, apesar do domínio inicial, o Palmeiras foi aceitando as investidas do Norusca e acabou sofrendo o gol.

Aos 17 minutos, bate e rebate na área, nostra defesa bateu cabeça e o time da casa abriu o marcador. Seria bom para o time acordar, mas foi justamente ao contrário: atrás do marcador, fomos um time nervoso em campo, errando todos os passes e terminando o primeiro tempo com poucas perspectivas de melhora.

No intervalo Felipão acordou e tirou os dois piores do time até então – Tinga e Luan -, colocando em campo mais dois atacantes, Vinícius e Max Pardalzinho. E se a equipe ganhou em velocidade, continuou completamente perdida com a bola nos pés. Mesmo após a expulsão merecida de Mateus, eram tantos os passes errados que estava difícil acreditar sequer no empate.

Então, já perto do fim, o Mago resolver aparecer. Aos 38 da segunda etapa, João Vitor (que havia entrado justamente no lugar de Assunção) sofreu falta na entrada da área; Valdívia bateu muito bem e empatou. Pouquíssimos minutos depois, nostro camisa 10 recebeu a bola pelo meio e colocou Vinícius na cara do gol para virar. Primeiro gol da carreira profissional do atacante e três pontos na tabela.

TROFÉU SÃO MARCOS
Apesar de ter sido bem marcado e de ter demorado a soltar a bola em alguns lances, Valdívia decidiu.

TROFÉU RIVALDO
Apesar de ter estado em um páreo duro com Luan, Tinga leva o troféu pela horrenda regularidade das últimas partidas.

E AGORA?
Agora temos o ex-morto São Bernardo pela frente, no sábado. É jogo que parece fácil, mas pode complicar se continuarmos errando tanto. Por isso será importante a volta do Gladiador e também a presença da torcida no Canindé. Voltamos a ficar junto dos líderes!

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »