Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 17 de agosto de 2011

Momento de reflexão neste blog, Palestrinos.

Ontem, conversando com um amigo alviverde, percebi uma coisa que nunca havia me passado tão dura e claramente pela cabeça. Sendo frio e calculista, cheguei a conclusão de que, do jeito que vamos e estamos, o futuro do Palmeiras tende a ser de puro fracasso. É duro, eu sei, mas é a realidade – por mais difícil que seja admitir uma coisa dessas.

Acompanhem meu raciocínio…

DIRETORIA HISTORICAMENTE FRACA
A culpa pelo momento que vivemos não é desta diretoria ou da penúltima: é de todas. Sim, eu sei que parece óbvio, mas atente para uma coisa quando eu digo todas… são todas mesmo! Exceto pelos períodos que envolvem a nostra fundação (feita amadorísticamente por imigrantes italianos), os anos dourados das duas Academias e ao período Parmalat (administrado pela propria empresa), nós sempre passamos por dificuldades.

A briga interna sempre foi intensa, o ego sempre foi maior que os objetivos da equipe e, se é verdade que isso não é exclusividade nostra, também é verdade que nenhum outro clube sofre tanto com isso quanto a gente.

PERÍODOS BEM DEFINIDOS DE GLÓRIA
Peguem a nostra história de conquistas e atentem para os “ciclos de glória”. Temos a passagem de Palestra para Palmeiras, temos o período entre 60 e 70, com as duas Academias, e temos boa parte dos anos 90. O primeiro ciclo é facilmente explicado pela honra e força de vontade de quem jogava; o segundo é uma combinação de fatores incríveis como bons olheiros, diretoria e comissão técnica; já o terceiro foi o fator sorte: uma empresa gringa apareceu e despejou dinheiro no clube.

Ficar dez anos sem títulos não é um absurdo. Mas, para um time do nostro tamanho e com a nostra torcida, incomoda demais. Principalmente porque a perspectiva de melhora é nula.

SEM TÍTULOS, MENOS TORCIDA
Sim, eu sei que torcedor de verdade não apoia em função de títulos e que temos casos de torcidas que cresceram no período de seca (que é comum a todos os clubes de futebol). Agora, seja sincero: como você explicaria para uma criança de 6 anos que ela deve ser palmeirense, se tudo o que ela vê e lê são notícias de trapalhadas e ingerência, além de jogos fracos e times, no máximo, esforçados?

É isso que vemos há mais de uma década. E, a não ser que apareça um sheik disposto a comprar o time e contratar o Agüero, as coisas parecem fadadas ao insucesso.

SOLUÇÃO
Sinceramente, sei que não existe uma única solução. É preciso se organizar, balancear as finanças, fazer uma verdadeira limpa na diretoria composta, em sua maioria, por senhores retrógrados, ter uma comissão técnica bem definida e por aí vai. É difícil, complicado, passa por mudar estatuto, instituir voto direto e tudo o mais, mas não é impossível.

Basta querer revolucionar. E nós precisamos desesperadamente disso.

Só quem lê este blog sabe que eu sou extremamente otimista sempre. Só quem me conhece sabe o quanto eu amo o Palmeiras. E só quem é palmeirense de verdade sabe o quanto dói admitir tudo isso sem poder rebater o destino.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »