Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \04\UTC 2011

Arbitragem novamente, Palestrinos!

Odeio colocar a culpa por resultados na arbitragem, mas quando se empate um jogo por um a um e o juiz erra duas vezes contra a sua equipe, não tem como esconder o descontentamento. Mesmo jogando fora de casa e tendo sofrido um gol logo no início, o Verdão empatou, jogou melhor e só não virou porque ignoraram um pênalti em Luan e pararam o Mago com um impedimento mal dado.

O empate não é ruim, mas poderia ser melhor.

O JOGO
Sem Maikon Leite, cortado por causa de um resfriado, Felipão apostou em Patrik e mandou o Palmeiras a campo no 4-4-2. O problema foi que nem deu para analisar como o time estaria disposto em campo quando, aos oito minutos, o caneludo Jéci pegou rebote de (mais) um milagre de Marcos e abriu o marcador pro time da casa. Sem ter outra alternativa, então, fomos pra cima.

E dez minuto depois, o empate chegou daquele jeitinho que a gente conhece: falta lateral, Assunção na cobrança e gol do Palestra! Com o empate veio também o ânimo e começamos a dominar a partida. Valdívia, adiantado, jogava demais; Luan corria pela esquerda como um ponta; e Kléber, sempre ele, brigava sem parar. O domínio foi tão grande que, não fosse o ladrão que apitava, teríamos virado ainda antes do intervalo, através de um pênalti não marcado e um impedimento mal conferido pelo bandeira.

Veio o segundo tempo, o frio apertou, mas o Verdão continuou em cima. Tocava bem a bola, distribuia bem o jogo, mas a partida foi ficando cada vez mais modorrenta. Faltas, erros de passe… até que em um desses, Maurício Ramos errou feio e condenou Thiago Heleno à expulsão. Henrique entrou no lugar de Patrik e o Palestra recuou.

Foi um SanGenaro nos acuda até o apito final do careca maldito, mas o um a um acabou ficando de bom tamanho. Mas, repito: se não fosse o árbitro…

TROFÉU SÃO MARCOS
Valdívia está voltando a plena forma: correu, driblou, distribuiu o jogo e até arriscou chutes de longe.

TROFÉU RIVALDO
Sempre muito bem disposto, Maurício Ramos errou no gol dos coxinhas e depois entregou o colega de zaga para o chuveiro mais cedo.

SÃO MARCOS E FELIPÃO ETERNOS
Incrível a tranquilidade que dá ter Felipão no banco e Marcos em campo. O treinador montou um time chato, no bom sentido, que marca demais, corre demais e que vai incomodar todo mundo neste campeonato. Já o nostro Santo (aniversariante de hoje) passa uma segurança inexplicável… não que Deola não seja ótimo goleiro, mas tê-lo na meta é ser mesmo abençoado.

E AGORA?
Agora temos o Grêmio no Canindé, sabadão, e depois saímos para uma seqüência de dois jogos com o Vasco, pelo Brasileirão e pela Sulamericana, nesta ordem. Dá pra ganhar, dá pra subir, dá pra sonhar.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Anúncios

Read Full Post »

Hoje é dia de dar a volta por cima, Palestrinos!

O campo, nós sabemos, é hostil. O adversário, já vimos, é perigoso. Mas quase três meses depois da acachapante derrota que sofremos pela Copa do Brasil, é dia de mostrar quem é o Verdão de verdade.

Não por empáfia, não por vingança, não pela história simplesmente contada. Precisamos entrar em campo aguerridos para provar de uma vez por todas que aquilo foi um acidente. Que o Palmeiras é grande, gigante, é de milhões e não de milhares. Um time que, se não ganha todas, luta sempre.

Sempre fomos e seremos assim: o time da virada, o time do amor. O Palestra da segunda partida da Copa do Brasil, que tem um elenco somente razoável, mas que joga para ganhar. Não somos os melhores, não temos os craques mais badalados, porém estamos trilhando o nostro caminho com garra e humildade.

Tenho certeza absoluta de que iremos fazer um bom papel hoje no tal “Green Hell”. E se é verdade que não podemos prometer um grande triunfo, também é verdade que nostro time lutará muito para sair do inferno para o céu em 90 minutos.

TIME PROVÁVEL
Marcos; Cicinho, Maurício Ramos, Thiago Heleno e Gerley; Márcio Araújo, Marcos Assunção e Valdívia; Luan, Maikon Leite e Kléber.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Demorou, mas aconteceu, Palestrinos!

Não sei nem dizer há quanto tempo não tínhamos uma rodada como esta… vencer bonito dentro de casa em um dia e assistir bâmbis, gambás e lambaris perdendo no outro. A rodada só não foi totalmente perfeita porque o Flalixo venceu novamente. Mas, para quem começava a cambalear no campeonato, essas duas vitórias seguidas servem para animar e esquentar a briga pelo G4. Que venham os coxinhas!

O JOGO
Sem Kléber e Márcio Araújo, suspensos, Felipão não inventou e manteve o mesmo sistema de jogo para enfrentar o combalido Galo. Colocou Dinei na frente, João Vitor de volante e apostou no agora contratado Luan para fechar o quarteto ofensivo com Valdívia e Maikon Leite.

E foi com muita correria e passes errados que o jogo começou: disposição demais, passes errados demais, emoções de menos. Mas não demorou muito para a partida pegar fogo. Ao melhor estilo Ronaldinho-Copa 2002, Marcos Assunção bateu pra área, a bola subiu em demasia, mas encobriu com perfeição Giovanni: Verdão 1 a 0. O problema foi que, mal a bola rolou, Magno Alves girou, o chute desviou e o time visitante empatou ainda aos 15 minutos.

Daí até o final da primeira etapa o jogo ficou extremamente aberto. Valdívia brilhava de um lado, obrigando o mesmo Giovanni a fazer boas defesas, enquanto Magino Alves assustava Deola do outro. A correria, no entanto, cessou e o primeiro tempo terminou empatado.

Mas quando o relógio apontou quase que o mesmo tempo do primeiro gol, agora na segunda etapa, Luan fez o “gol do fico”. A bola rebatida sobrou na entrada da área e ele, de perna direita, desempatou para o Verdão. Daí pra frente foi um Deus nos acuda: pressão do Atlético, sufoco no Canindé. Nem quando San Genaro nos iluminou, e Patrik fez o terceiro, tivemos calmaria: de novo sofremos um gol na saída de bola.

A coisa seguiu quente até o final, mas o Canindé nos dá mesmo sorte. Verdão 3 a 2, muita disposição em campo e uma semana perfeita fora dele.

TROFÉU SÃO MARCOS
Marcos Assunção participou dos dois primeiros gols e ainda marcou muito.

TROFÉU RIVALDO
Gerley falhou feio no segundo gol e mostrou insegurança durante a partida.

E AGORA, CAÇA-BALADAS?
E não é que os dois jogadores mais criticados da última semana decidiram a partida? Será que é porque eles não foram para a bala ou o “genial” disque-denúncia funcionou? Por San Genaro, não venham me dizer que Luan e Assunção jogaram bem porque torcedores chatospra burro os pressionaram…

REVANCHE MARCADA
É quarta-feira, às 22h, em Curitiba. O que aconteceu será lembrado por muito tempo, mas eu duvido que iremos ver algo parecido ao ocorrido no início do ano lá no Couto Pereira. A derrota pode até vir, futebol se decide dentro de campo, mas aposto que a nostra postura será totalmente diferente.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

« Newer Posts