Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 28 de novembro de 2011

O futebol está ficando chato, Palestrinos, e não é de hoje.

Ontem, ao final da partida em que batemos a bambizada por um a zero, tivemos mais alguns exemplos disso. O ocorrido foi que, enquanto ainda davam depoimentos dentro de campo, alguns de nostros jogadores souberam do gol do Vasco. E ali, em meio ao arrombo de alegria de ambas as torcidas, a maioria se calou.

Deola disse que entrará em campo para vencer porque é um clássico, Assunção concordou com nostro arqueiro, Felipão disse que não vê alegria em tirar o título do rival… a chatice de sempre. Eis que surge ele, sempre ele, Jorge Valdívia e destoa do coro: “A vitória não vai apagar o ano ruim que tivemos, mas seria um presente para o torcedor”.

Perfeito! É isso. Sem desrespeitar ninguém, o chileno falou toda a verdade. Se tirar o título do Curintia não é motivação extra aos jogadores, o que será? A torcida quer isso, a torcida irá cobrar isso, a torcida vai apoiar por isso.

Semana passada, escrevi aqui que seria ridículo dobrar o bicho dos jogadores para esta partida – e não mudo uma vírgula no que está escrito… Vai pensar em dinheiro na véspera de um jogo como esse?! No entanto, motivação não pode faltar! Foi isso que o Mago quis dizer com a palavra “presente”; em meio a um ano tão decepcionante, ter esse gostinho seria um ato de dignidade por meio dos atletas. E eu ainda vou além: só espero que o time corra e se entregue, independente do que acontecer ao final dos noventa minutos.

Para ser sincero, tenho certeza de que todos os atletas pensam isso. Mas, ali, na frente dos microfones, preferem ser “certinhos”. Contudo, compreendam de uma vez por todas: rivalidade é uma parte indispensável do futebol! E falar como Valdívia falou é totalmente coerente. Não incentiva violência, não dá poder ao adversário. Pelo contrário, isso só contribui a conversa do almoço, do escritório, do bar.

Tenho certeza de que teremos um partidaço no domingo. E vamos, sim, jogar com os ouvidos no jogo do Vasco. Não tem essa de “contra o Corinthians é sempre assim e mimimi”. Fosse ao contrário, teríamos a mesma situação.

Viva a rivalidade, viva Valdívia, vida o politicamente incorreto!

Siamo Palestra!

ROJAS.

Anúncios

Read Full Post »

Vitória, Palestrinos, vitória!

No final das contas, é isso o que vale no futebol. Principalmente quando se vence um clássico como o de ontem. E eu espero que os jogadores tenham entendido que o valor da vitória foi especial justamente por causa disso: porque vencemos um rival. Não existe bicho que pague este sentimento.

Ontem, no Pacaembu com quase 20 mil pessoas, o Palmeiras voltou a jogar bem. Assim como fez diante do Bahia e já havia feito em parte do jogo contra o Vasco, o time foi organizado, arrumado e fez por merecer os três pontos. Exceto por alguns vacilos de Leandro Amaro e Patrik, e a atuação bastante apagada de Ricardo Bueno, o Verdão foi bem.

Valdívia e Henrique estão bem melhor fisicamente, os laterais voltaram a apoiar, Márcio Araújo voltou muito bem ao meio, Luan segue em boa fase e Assunção, como sempre, foi letal. Mesmo com as mexidas cautelosas de Felipão, pouco houve de pressão por parte dos bâmbis.

E domingo, diante da gambazada, temos que ter o mesmo espírito. Pouco importa que o campeonato chegou ao fim e, mais, pouco importa se o Vasco ganhará ou não o Brasileiro. Temos que vencer por nós, pela nostra dignidade, pela nostra história e força.

Vitória vale bem mais que dinheiro. E com bicho dobrado ou não, eu sou mais Palmeiras.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »