Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 24 de abril de 2015

Entra ano, sai ano e o assunto é o mesmo, Palestrinos: Jorge Valdivia.

Titular nos últimos jogos e tido como certo na decisão do próximo domingo, o meia tem sido protagonista de mais uma novela infindável. Não bastasse sabermos quando o chileno reúne condições físicas ou não para jogar, já faz meses que ouvimos falar de sua renovação de contrato.

De um lado, a conhecida qualidade que o camisa 10 tem; do outro, o custo-benefício pra lá de duvidoso em sua segunda passagem pela Academia. Vem daí o impasse que gira em torno da política de contratos por produtividade. Pouco mais de dois anos atrás, aliás, Valdivia disse aos microfones que aceitaria de bom grado uma proposta feita nestes moldes – hoje, no entanto, parece ter mudado de opinião.

A impressão que eu tenho é a de que o Palmeiras tem consciência de que finalmente pode viver sem El Mago, mas, ao mesmo tempo, vive aquele receio de que ele reforce algum rival e acabe mostrando o fino da bola logo contra nós mesmos. Contra o Botafogo/SP, ele deu o passe que iniciou o gol da vitória; diante do Corinthians, no entanto, teve atuação apagada e viu o time ganhar em velocidade depois da sua saída.

O ponto é que, seja lá o que Nobre e Mattos estiverem pensando, isso não pode prejudicar o time dentro de campo. Temos que saber separar a final do Campeonato Paulista de 2015 de uma possível renovação de contrato. Até mesmo porque parece óbvio que a escalação ou as substituições de Oswaldo irão impactar o futuro do chileno na equipe.

Seja como for, deixem nostro treinador trabalhar em paz. Vale mais um troféu na prateleira do que dois chutes no vácuo voando.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Anúncios

Read Full Post »

Verdão e Santos começam a decidir o Campeonato Paulista neste domingo, Palestrinos. E por mais incrível que pareça, é apenas a segunda vez que isso acontece na história do campeonato.

Na primeira delas, em 1959, o alvinegro que já tinha Pelé campeão do mundo era o favorito. Havia vencido o torneio no anterior e estava dando início à máquina de títulos que ganharia a América e o mundo no decorrer dos anos 60. Mas o Palmeiras sempre foi a pedra no sapato daquele time e, com o projeto ainda embrionário da Primeira Academia, venceu.

As imagens abaixo falam por si: apesar de ter saído atrás no marcador, o Palestra capitaneado por Juninho Botelho foi pra cima e virou o jogo no Pacaembu lotado. Pode ter sido surpresa para muitos, mas basta saber um pouco de história para relembrar o quanto a nostra equipe surpreendeu o aclamado Santos FC.

O panorama, hoje, é completamente diferente. Embora tenha tido melhor campanha e passado com tranquilidade pela semifinal, o time da Baixada chega com desfalques. Já o Palmeiras, heróico em Itaquera, chega à decisão empolgado e com a certeza de jogar em um estádio abarrotado de verde e branco.

Só nos resta torcer para que Fernando Prass seja Valdir de Moraes. Que Lucas volte de lesão travestido de Djalma Santos. Que Arouca seja Chinesinho, Dudu encarne Julinho Botelho e Rafael Marques tenha tarde de Nardo. Que à beira do campo, nostro Oswaldo com W dê um nó tático na grafia e vire Osvaldo Brandão. E, claro, que a alegria que tomou o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho 56 anos atrás, retorne este domingo ao renovado Allianz Parque.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »