Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘2002’

Marcos; Alexandre, César e Galeano; Arce, Fernando, Magrão, Alex e Adauto; Itamar e Christian. Foi com esta equipe, dirigida por Vanderlei Luxemburgo, que fomos vergonhosamente eliminados da Copa do Brasil de 2002, Palestrinos.

É claro que aquele foi um ano maldito, que os tempos eram outros, que Luxa iria nos abandonar poucas semanas depois e que o próprio adversário provavelmente vivia um outro momento. Mas é preciso manter os olhos abertos. O elenco que temos hoje e o elenco que tínhamos treze anos atrás não são assim tão diferentes.

Se formos analisar friamente, aliás, tínhamos jogadores acima da média (Marcos, Arce e Alex), alguns razoáveis (Galeano, Fernando, Magrão, Christian) e outros bem abaixo do discutível (Alexandre, César, Adauto, Itamar). Hoje temos menos atletas no grupo dos horríveis, mas também não temos nenhum com um nível incrível; nostro time todo está na base do razoável. E quando se está na média, meus amigos, qualquer coisa pode desestabilizar uma equipe.

Para espantar a asa negra da desconfiança e o fantasma do ASA de Arapiraca do nostro campo de visão, no entanto, não tem fórmula maluca: é preciso jogar. Com raça, vontade, entrega e o mínimo de organização. As apresentações diante de Sampaio, Joinville e Goiás mostraram uma equipe totalmente perdida em campo (aquele esquema do tiki-taka inofensivo que escrevi no outro post).

Espero de coração verde que Fernando Prass, Zé Roberto, Robinho e companhia consigam explorar a fragilidade flagrante do outro lado. Caso contrário o nervosismo vai bater – e, se bater, corremos o risco de ver outro vexame.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Anúncios

Read Full Post »

Pouco a falar sobre este lance, Palestrinos.

Lembr0-me apenas de que eu morava no interior de São Paulo e de que não pude ir ao Morumbi porque o jogo foi no meio da semana. Meu irmão, no entanto, morava na capital e me ligou segundos após o gol, repetindo insistentemente: “Meu Deus, meu Deus, meu Deus!!!”.

Era o Torneio Rio-São Paulo do fatídico ano de 2002, metemos 4×2 na bambizada e a dupla Alex/Cristian teve uma noite de gala. Parabéns ao Cabeção pelo tento genial e pelo aniversário de dez anos de uma verdadeira obra de arte.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

luxemburgo2

Quanto mais eu rezo, mais assombração me aparece, Palestrinos.

Depois do Monsieur Bêbado Gomes soltar mentiras a torto e a direito, hoje foi o dia da volta dos mortos-vivos: Wanderley Luxemburgo resolveu abrir seu bico.

Dando entrevista para toda a imprensa, às vésperas do clássico de domingo, Luxa lançou a seguinte pérola: “Quando eu saí de lá, em 2002, me deixaram o ônus de ter derrubado o time, mesmo eu tendo saído no início, na primeira rodada do Brasileirão. (…) Mas até agora não ouvi ninguém dizer que se o Palmeiras for campeão eu tenho um pedacinho nessa conquista.”

Vejam só! Temos alguém com dor de cotovelo.

Caro Luxemburgo, o senhor teve sim participação fundamental em nossa queda. Afinal, em 2002, foi você quem montou o time e deixou na mão uma mísera rodada depois! Não que o senhor tenha sido o principal alvo, mas o tal “ônus” é justíssimo.

Quanto a campanha deste ano, duas coisas são verdade: 1) Você participou da montagem do elenco; e 2) Você realmente disse que o objetivo do grupo seria o Brasileiro. Pontos positivos.

Mas, porém, contudo, todavia, entretanto… não custa nada lembrar que com o senhor o time não tinha padrão tático nenhum. Que vossa cachacência apostou em Capixaba, Jéci (liberando Gustavo!), Evandro, Mozart e Willians de titular até não dar mais. Que falava mal do próprio grupo, acusando fraquezas.

Logo, você terá sim uma participação neste título quando ele vier. Só coloque na cabeça que será bem menor do que sou culpa por 7 anos atrás.

Vai cuidar do seu timeco e pára de mendigar o nosso Penta!

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »