Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Bahia’

Sem mais ilusões, Palestrinos.

Já deu pra perceber que não é este time quem vai nos livrar de mais uma queda. A verdade é que, agora, nos resta apenas apostar no fracasso dos outros. Por isso, chegou a hora de fazer contas.

Hoje ocupamos o 16o lugar, com 39 pontos, só um a frente do Z4. Considerando que resta uma vaga apenas (Criciúma já foi, Bahia e Botafogo estão quase), nostros concorrente diretos são Vitória (38 pts.), Coritiba (41 pts.) e Chapecoense (42 pts.). Logo, vejamos a tabela:

  • Palmeiras: Inter (F) e Atlético-PR (C)
  • Vitória: Flamengo (F) e Santos (C)
  • Coritiba: Atlético-MG (F) e Bahia (C)
  • Chapecoense: Cruzeiro (C) e Goiás (F)

Sinceramente, acho que os piores confrontos são os nostros. Pegamos o Inter extremamente interessado e necessitado de vencer em casa e um Atlético Paranaense sem responsabilidade nenhuma – mas doido para carimbar o novo Palestra. O Vitória pega dois times que já não têm pretensão nenhuma no campeonato, o Coxa enfrenta um time que deve vir de ressaca de título e outro virtualmente rebaixado, enquanto que a Chape pega o Cruzeiro já campeão e um Goiás desinteressado fora de casa.

O melhor cenário que vejo no momento para o Palmeiras é o de 4 pontos: um empate fora e uma vitória em casa. Se conseguirmos isso, provavelmente nos salvaremos, porque não acho que Vitória e Coritiba vençam os dois jogos que têm pela frente – com 42 pontos, a Chapecoense só precisa ganhar um dos dois, acredito que se salva.

No entanto, indo para o cenário que mais me amedronta, podemos ter que decidir tudo na última rodada. E aí a pressão sobre o time medíocre que temos pode nos deixar em situação delicada. É por isso que, desde já, peço que todos os palmeirenses de verdade se programem para estar no Palestra Itália dia 07/12: vai ser preciso empurrar na garganta, na raça e na camisa.

Até porque esperar que este elenco nos salve, apresentando algum futebol minimamente decente, é totalmente impossível.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Vitória importantíssima, Palestrinos! Fora de casa, diante de um concorrente direto, sem tomar gol após os 45 e depois de três jogos sem vencer: foi um combo de alívio.

Analisando friamente a partida, inclusive, tudo poderia ter dado errado. Começamos tomando pressão, bola na trave e não ficávamos com as bolas nos pés mais de 15 segundos. Pra piorar, todo lance de ataque era construído para lançar Mouche pelo alto – algo que, convenhamos, não iria dar certo nunca.

Depois do gol, no entanto, conseguimos equilibrar o jogo e ter um pouco mais de volume. O Bahia não chegou a nos sufocar como qualquer palmeirense calejado já esperava, mas sofremos até o apito final. O que, dada das condições, não deixa de expor os problemas e méritos deste elenco.

Os problemas, aliás, conhecemos muito bem. Meio-campo que erra passes demais, defesa que costuma vacilar em lances cruciais, ataque que sofre de Henriquedependência… nem é preciso ir além. O que me surpreende a esta altura do campeonato são as qualidades.

Que Prass e Valdivia são essenciais para o bom funcionamento da equipe, todos sabemos, por exemplo. Mas ter o camisa 10 tão comprometido e motivado como foi nos últimos jogos, além do goleiro com um papel de liderança marcante dentro e fora de campo é incrível.

Além deles, dá pra destacar as boas entradas de Nathan e João Pedro, a chegada providencial de Dorival Jr. e a recuperação de atletas como Renato, Mouche e Mazinho. Some-se a estas boas novidades uma limpa no elenco (são quase 40 atletas no grupo principal) e alguns reforços pontuais que podemos pensar em algo melhor para 2015.

O novo Palestra merece isso.
Nós merecemos isso.
E a Sociedade Esportiva Palmeiras precisa disso.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Outra batalha se avizinha, Palestrinos. E embora seja menos aterrorizante que as últimas quatro que lutamos, esta ganhou um caráter de importância ainda maior.

Domingo, diante do Bahia em Salvador, teremos que ser gigantes mais uma vez. Não só porque nostro adversário é o penúltimo colocado e está precisando desesperadamente dos 3 pontos, mas também porque viajamos sem Henrique – autor de 14 dos nostros 31 gols no campeonato.

É óbvio que se vai especular muito ainda esta semana, mas a tendência é que, sem Henrique e Juninho, Dorival opte pelo simples. Se assim o fizer, entraremos com Renato na vaga do lateral (devolvendo Vitor Luís a sua posição original) e com Cristaldo no lugar do Ceifador, formando um 4-2-3-1 – tática que também deve ser usada pelo tricolor baiano.

Se mantiver o estilo de jogo, o Bahia deve apostar nas bolas paradas que sempre procuram as cabeças de Titi e Fahel, além da velocidade do meio para frente, usando jogadores como Marcos Aurélio, Maxi Biancucchi e Henrique . Desta feita, teremos dois times jogando com as mesmas características.

O segredo é o Palmeiras não se afobar. Afinal, quem precisa ir pra cima desde o apito inicial é o adversário. A inteligência estará em fazer o que fizemos muito bem contra o Cruzeiro e muito mal diante do Corinthians: atrair o adversário para contra atacar, não sofrer pressão.

Se der tudo certo, voltamos de lá prontos para inaugurar o Palestra em grande estilo.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Hoje tem jogo em casa, Palestrinos. E aí pouco importa o nome ou a importância do torneio: temos que ir pelo Palmeiras.

É claro que o fato de ser um jogo internacional, diante de uma equipe italiana, traz um atrativo a mais para a partida de hoje, às 22h, no Pacaembu. Mas temos que enxergar além dos 90 minutos. Temos que ver que todo e qualquer jogo vale o nostro ano e a nostra história.

Não vou nem me alongar aqui falando que o time é limitado e que ainda está desorganizado pelo pouco tempo de adaptação de Gareca. Vou usar apenas o argumento de que times limitados vencem o tempo todo, e o nostro pode melhorar muito. Depende de trabalho em campo, mas também depende de nós fora dele.

Jamais vou engolir um campeonato em que fiquemos atrás de Vitória, Goiás e Sport. Equipes tão limitadas quanto a nostra, mas que estão brigando. Cabe a nó brigar junto, bem como a massa tem feito e bem o vimos diante do Cruzeiro. Portanto, bora pro Porcoembu hoje!

E domingo tem Brasileirão, não tem? Então, vamos de novo. Porque se o time é limitado, a gente levanta no gogó.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Derrota inesperada, Palestrinos.

E por mais que tenhamos perdido gols e errado na marcação, o que não me sai da cabeça é a péssima arbitragem de ontem. Dizer que ela não influiu no resultado é querer se passar por maluco! O que vimos na Arena Barueri foi uma palhaçada…

Um pênalti não marcado para o Palmeiras – quando Barcos dominou a bola na área e o zagueiro desferiu não um, mas dois toques de mão na bola – e uma penalidade ridiculamente marcada, quando Lulinha simplesmente se atirou no gramado sem nem ter sido tocado. É inadmissível!

E olha que eu achei falta, sim, no gol anulado de Obina… De quebra, o palhaço de apito na boca ainda expulsou Felipão e nos tirou Juninho do jogo do próximo domingo, em Belo Horizonte, diante do Cruzeiro.

Isso é o que acontece quando se escolhe jogar fora da sua cidade, recebendo públicos ridículos, que nem tem como pressionar um juiz cagão como este. O Brasileirão está condenado e boa parte da sua culpa é da sua arbitragem, do STJD e, claro, da CBF.

TROFÉU SÃO MARCOS
Sem Assunção, João Vitor é nostro volante que sobe mais ao ataque e tem feito bonito. Jogou muito bem domingo e ontem, merece o troféu.

TROFÉU RIVALDO
Nulo, Daniel Carvalho já me irritou tanto que eu nem vou explicar.

Ainda assim… Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Acabou, Palestrinos!

Grazie a Dio, acabou aquela amargura que nos consumia e o risco de rebaixamento se foi. E a vitória de ontem foi ainda mais saborosa pelo surpreendente bom futebol apresentado pela equipe.

Se é verdade que os nostros gols só saem de bola parada, também é verdade que poderíamos ter feito muitos outros em boas jogadas. Faltou pontaria, mas não faltou entrega. Outro ponto bastante positivo foi a ótima atuação de Valdívia no segundo tempo, além da já regular participação de Luan.

Mas, passado o sufoco, chegou a hora deste grupo nos honrar com o mínimo de dignidade nessas rodadas finais. Faltam apenas dois jogos, porém jogos importantíssimos: temos bambis e gambás pela frente, podendo jogar água no chopp de ambos. Isso sem falar que terminar o ano vencendo dois clássicos seria o ideal para um 2012 de melhores horizontes.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Que fase, Palestrinos…

Mais uma vez jogamos bem, mais uma vez tocamos bem a bola, mais uma vez pressionamos e, mais uma vez, não vencemos. Foram duas bolas na trave, três gols perdidos dentro da área e uma arbitragem horrorosa que nos tiraram os 3 pontos ontem, no Canindé. Nada de muito diferente do que aconteceu domingo, diante do Vasco, nem no outro sábado, contra o Grêmio.

Mas o que mais me chamou a atenção é que, mesmo sendo ROUBADOS dentro de casa, nós não temos ânimo nem mais para reclamar. A seqüência que temos de decepções nos deixou tão desencantados com o time, que o protesto fica mais próximo do que a reclamação. O Palmeiras jogou bem, sim, o normal seria meter três nos bahianos… mas não foi assim.

E agora, usando aquele otimismo que nos é peculiar, olho pra frente e faço o diagnóstico: ou ganhamos de bâmbis e gambás, ou o campeonato acaba de vez pro Verdão. É óbvio que ainda restarão 19 rodadas, são 57 pontos em jogo, mas os clássicos são a nostra última esperança. Afinal de contas, ganhar clássicos empolga, anima, muda o ambiente.

Do contrário, pegaremos no máximo uma vaguinha na Sul-Americana.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »