Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘edinho’

Empate justo é o cazzo, Palestrinos!

Apesar de toda a imprensa alardear que o 1 a 1 de ontem foi justo, a grande verdade é que, mais uma vez, fomos superiores em 70 minutos de jogo, mas não vencemos. Assim como foi contra o Botafogo e assim como foi contra a própria gambazada no Paulistão deste ano.

Dá pra falar que a equipe jogou muito? Claro que não. Mas descontada a falha do bandeira, a covardia da arbitragem diante das botinadas do Curintia e o levand0-se em conta o volume de jogo, merecíamos a vitória. Mas futebol é assim, a gente sabe.

O JOGO
Estranhamente confuso, o Palmeiras assistiu a equipe de Adílson jogar nos 20 primeiros minutos. E só foi acordar depois de tomar o gol em rápido contra ataque (Pierre poderia ter feito a falta no meio-campo, mas, sabemos, não é da índole dele). Daí pra frente, com a bola no chão, passamos a dominar a partida.

Lincoln começou a distribuir bem o jogo, Kléber continuou brigando sozinho na frente e Vítor tentava subir quando podia, enquanto Armero, com muita liberdade, errava tudo o que fazia. Foi então que o Curintia começou a distribuir caneladas a torta e à direito e, martelando em cobranças ruins de falta, chegamos ao empate. Cabeceio de Kléber, rebote, gol de Edinho.

Ainda antes do intervalo, uma bela de uma falta a nostro favor e, com Assunção no banco, vimos que a coisa fica mesmo feia. Vamos treinar mais, pessoal!

O 2º tempo pouco mudou no panorama geral. Na verdade, a grande mexida de Felipão foi tática: colocar Márcio Araújo pela esquerda, segurando o colombiano doido na defesa, enquanto Vítor tinha a cobertura de Pierre para subir pela direita. E quando Lincoln saiu cansado, ficou claro que falta outro meia no elenco (Tinga é segundo volante, Patrik ainda é garoto, a novela Valdívia ainda vai custar 1 mês sem o Mago em campo e ontem deu pra sentir falta total até de Deyvid Sacconi como opção).

Enfim, nós tentamos. Tivemos gols corretamente anulados, Kléber perdeu grande chance de canhota, mas faltas e escanteios abundantes continuaram mal batidos. Final de jogo, placar igual. Mas fomos superiores.

O MELHOR
Kléber, disparado. Apesar de Lincoln ter atuado muito bem por uns 30 minutos, o Gladiador brigou o jogo todo. Tivesse um Ewerthon mais inspirado a seu lado e poderíamos vencer.

O PIOR
Não dá pra confiar em Armero em uma só jogada. Tirando o fato dele correr mais que todo mundo, ele costuma errar todos os cruzamentos e passes. Gabriel Silva merece voltar.

ARBITRAGEM
Não vou ser hipócrita e dizer que empatamos só por causa da arbitragem. E embora o gol impedido tenha feito toda a diferença (ou o resultado não foi 1 a 1?), o que mais me irritou foi Paulo César de Oliveira. Nem falo nada sobre as penalidade globais (na minha opinião nenhum dos dois lances foi pênalti), mas ele fez média o jogo todo.

Só para citar dois fatos básicos: ele deu um amarelo para cada defensor do Curintia (igonorando o rodízio de botinadas no Gladiador, mesmo quando Chicão deu duas pancadas seguidas em Kléber, claramente evitando problemas) e, quando deu os acréscimos, simplesmente ignorou um empurrão estúpido de Jorge Henrique fora do campo em Armero (deu um amarelinho pobre e acabou o jogo antes do tempo).

Uma dica? Vetem esse crápula. Sálvio Spinola e o irmão de Paulo César são muito melhores.

E AGORA?
Agora temos uma seqüência para voltar a vencer de qualquer maneira: o cobalido Goiás de Leão e o decadente Atlético/PR em casa. São seis pontinhos pra lá de possíveis, hein Verdão?

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »


Lá se foram mais duas partidas sem vitória, Palestrinos.

Confesso que a correria da última semana permitiu apenas que eu ouvisse os empates diante de Botafogo e Ceará no rádio, mas os sintomas de ambas as partidas parecem ter sido os mesmos: uma defesa insegura e a falta de mais um meia armador.

Apesar de julgar Léo e Maurício Ramos bons zagueiros, eles têm perdido todas pelo alto e feito muitas faltas (com consequentes cartões e expulsões). Claro que a suspensão de Danilo faz diferença, mas, na minha opinião, o principal problema tem sido a proteção à zaga. Pierre definitivamente está muito mal e jogar com Edinho atrás no 4-4-2 deixa claro que ele e sempre foi um cabeça de área – não um zagueiro. Os laterais também têm marcado muito mal (algo flagrante na última quinta).

Márcio Araújo e Marcos Assunção, principalmente o segundo, têm feito bem o seu papel de marcadores que conduzem a bola para o ataque. O problema é que Lincoln tem ficado nitidamente sobrecarregado na armação, causando cansaço e perda de qualidade. Ou o Palmeiras fecha logo essa novela com Valdívia ou será necessário buscar um outro camisa 10.

A boa notícia é a semana cheia que Felipão terá para trabalhar para o clássico de domingo. Será o tempo ideal para ele decidir quem atuará no miolo de zaga (acredito que ele possa optar por um 3-5-2, com M. Ramos, Edinho e Leandro Amaro) e treinar mais as bolas paradas, coisa que tem feito diferença contra a nistra equipe. Também será tempo de olhar com mais carinho Tinga e Patrick, jovens jogadores que vêm trazendo um sopro de ousadia ao Verdão.

Nós confiamos em ti, Felipone. E confiamos em mais uma vitória sobre os eternos fregueses.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Robert fez o gol da vitória.

Copa do Brasil é assim, Palestrinos.

Quando se joga dentro de casa, você se preocupa em não tomar gols; quando joga fora, se preocupa em fazer um. Foi com este pensamento que o Palmeiras entrou em campo ontem, diante do fraco time do Atlético/PR, e fez a vantagem mínima. Poderia ter sido mais? Sem dúvidas. Mas ficou de bom tamanho.

O JOGO
Na base do bumba meu boi, o Verdão começou a partida forçando o jogo pela direita e tentando pressionar a brisinha curitibana. Aliás, todo o 1º tempo se desenrolou do mesmo lado do campo: o Palmeiras atacava pela direira com Figueroa e M. Araújo, enquanto que o Atlético subia pela esquerda, com Márcio Azevedo e Paulo Baier.

E foi justamente naquela faixa do campo que Robert, aos 14′, tabelou com Edinho e fez o gol da vitória. Um gol simples, usando o tradicional um-dois e que ganhou um temperinho especial com o passe cheio de marra do camisa 3.

A partir daí, amicos, os 30  minutos subsequentes se resumiram a nostros chutes de longe e aos 58 escanteios batidos pelo morfético do Paulo Baier – onde ele tomou amarelo e merecia até o vermelho (que foi dado com justiça mais tarde).

Na segunda etapa, o recado de Antonio Carlos Kojac ficou bem claro: não se expor e só subir na boa. Daí foi passe pra cá, passe pra lá, mais centenas de cruzamentos em nossa área (e só perdemos uma delas, em grande defesa de São Marcos) e nada de gols.

Poderia ter sido 2. Mas, ontem, 1 a 0 foi goleada.

O MELHOR
Nunca achei que fosse escrever isso aqui, mas foi Edinho. O nostro Shrek deu passe de calcanhar, defendeu feito um leão e chegou até a finalizar.

O PIOR
Pelo que se esperava dele no jogo, Lincoln.

O CASO DANILO
Vamos ao lance como ele foi (eu estava atrás do gol e vi do mesmo jeito que depois na TV): escanteio, fazem falta em São Marcos, o juiz bundão não marca, Danilo tomada uma cabeçada de Manoel fora do lance, dá uma cusprada de volta e fala grita com ele no chão.

Manoel merece punição pela cabeçada (e pelo posterior pisão em Danilo no final do jogo)? Sim. Danilo merece punição pela cusparada? Também. Mas Danilo agrediu verbalmente o zagueiro, chamando-o de “macaco”? Aí é palavra contra palavra.

No futebol, infelizmente, sabemos que ofensas desse tipo são comuns. Pode ter acontecido (e então Danilo mereceria, sim, mais punição). Mas por que, ao sair para o intervalo, Manoel disse que não houve nada e que havia sido coisa de jogo e depois de tomar banho quis fazer B.O.?

Está na cara que é pra colocar o Palmeiras em uma situação complicada na quarta que vem.

Mas quer saber? Vamos lá e vamos ganhar do mesmo jeito.

___________________________________________________________

Atualizando: acabo de ouvir o áudio da ESPN e Danilo realmente chamou Manoel de “macaco do caralho”. Está errado e merece punição. Pior para a gente, que vai perdê-lo por até 120 dias na Copa do Brasil e no Brasileirão, e pior para o próprio camisa 23, que vai responder processo sobre isso.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

O que foi a partida de ontem, Palestrinos?

Contra um verdadeiro time de churrasco, o Palmeiras não fez mais que a obrigação e mandou quatro pra cima dos piauienses ruins de bola. E olha que poderiam ser 7 ou 8 se, principalemente, Deyvid e Robert não fossem tão errôneos na hora de finalizar. No final das contas, missão cumprida.

O JOGO
Com Edinho no lugar de Marcio Araújo, Figueroa no lugar de Wendel, Sacconi substituindo CleitonX e Marquinhos na vada de Lenny, o Palmeiras manteve o 4-4-2 e entrou em campo disposto a matar logo a partida. Tanto que em menos de três minutos, Robert já havia feito 1 a 0 de pênalti, e antes dos 35 já estava 3 a 0 – o segundo de Leo e o terceiro novamente de Robert.

No segundo tempo o ritmo caiu, Kojac mexeu no time (William mais uma vez foi nulo, mas Ivo mostrou que pode ajudar) e os 45 minutos finais só serviram para Edinho Shrek mandar um golazzo de voleio. Noves fora a fragilidade do time adversário, o Verdão foi bem.

O MELHOR
Pelos dois gols e mesmo com os tantos gols perdidos, Robert.

O PIOR
É praticamente impossível apontar um pior ontem, mas achei que Diego Souza ficou devendo.

JARDEL
Impossível não comentar a participação histórica de Jardel no jogo de ontem. Ele não só está ridiculamente gordo e com lordose, como conseguiu se lesionar no aquecimento. E pensar que ele já foi Chuteiro da Ouro da Europa num passado nem tão distante…

E AGORA?
Agora vamos enfrentar o Paysandu pela 2ª fase da Copa do Brasil. E domingo agora tem jogo contra o Rio Claro, fora de casa, pelo Paulistão.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Ultimamente, ser palmeirense é acompanhar novelas, Palestrinos.

Nem a Globo tem investido tanto em tramas longas, tensas e desnecessárias como o nostro Verdão. É jogador que vai, mas não vai, outro que vem, mas não vem, contratação que não sai, obras que não começam… é tanta coisa que dá pra fazer uma grade de programação alviverde.

A ARENA DA DISCÓRDIA
Ao melhor estilo Malhação, as obras no Palestra estão da mesma forma que os estudantes da trama adolescente: já têm 30 anos, mas continuam no colegial. Já faz mais de 1 ano que falaram em início das obras, pedra fundamental e até agora nada aconteceu. Dia 13 de março, aliás, tem show Guns N’Roses.

EDINHO
Com a leveza típica das novelas de época das 18h, tem um enredo aparentemente leve, mas que nunca acaba. O jogador já foi liberado pelo Lecce, o Palmeiras já fechou o negócio, o Inter não se opôs a nada e, ainda assim, já vamos pra quase 2 semanas de enrolação.

AVANTI PALESTRA
Com o tradicional bom humor que domina a novela das 19h, segue o lançamento-não lançamento do já famoso projeto de sócio torcedor verde, o Avanti. Tal qual já escreveu muito bem o pessoal do Forza Palestra, o novo programa apresentado é tão ruim quanto o Onda Verde. É um show de error e palhaçadas de alguns profissionais bem mal preparados.

ATAQUE DE NERVOS
Certamente a trama mais tensa de todas, envolve coinflitos em vários núcleos – tal qual a novela das 20h. Love quis, sair foi liberado, o Flamengo não tem a grana, o CSKA o quer de volta e o camisa 9 já parece arrependido; Robert diz que tem tudo certo no México, mas a Federação está de férias e o contrato deve demorar mais que uma tequila ouro; enquanto isso, Kléber, Sóbis e Marcelo Moreno namoram, mas não casam com o clube.

E você, também já está cansadode tanta novela? Eu ando preferindo ver TV Senado…

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »