Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘felipãp’

Empate justo é o cazzo, Palestrinos!

Apesar de toda a imprensa alardear que o 1 a 1 de ontem foi justo, a grande verdade é que, mais uma vez, fomos superiores em 70 minutos de jogo, mas não vencemos. Assim como foi contra o Botafogo e assim como foi contra a própria gambazada no Paulistão deste ano.

Dá pra falar que a equipe jogou muito? Claro que não. Mas descontada a falha do bandeira, a covardia da arbitragem diante das botinadas do Curintia e o levand0-se em conta o volume de jogo, merecíamos a vitória. Mas futebol é assim, a gente sabe.

O JOGO
Estranhamente confuso, o Palmeiras assistiu a equipe de Adílson jogar nos 20 primeiros minutos. E só foi acordar depois de tomar o gol em rápido contra ataque (Pierre poderia ter feito a falta no meio-campo, mas, sabemos, não é da índole dele). Daí pra frente, com a bola no chão, passamos a dominar a partida.

Lincoln começou a distribuir bem o jogo, Kléber continuou brigando sozinho na frente e Vítor tentava subir quando podia, enquanto Armero, com muita liberdade, errava tudo o que fazia. Foi então que o Curintia começou a distribuir caneladas a torta e à direito e, martelando em cobranças ruins de falta, chegamos ao empate. Cabeceio de Kléber, rebote, gol de Edinho.

Ainda antes do intervalo, uma bela de uma falta a nostro favor e, com Assunção no banco, vimos que a coisa fica mesmo feia. Vamos treinar mais, pessoal!

O 2º tempo pouco mudou no panorama geral. Na verdade, a grande mexida de Felipão foi tática: colocar Márcio Araújo pela esquerda, segurando o colombiano doido na defesa, enquanto Vítor tinha a cobertura de Pierre para subir pela direita. E quando Lincoln saiu cansado, ficou claro que falta outro meia no elenco (Tinga é segundo volante, Patrik ainda é garoto, a novela Valdívia ainda vai custar 1 mês sem o Mago em campo e ontem deu pra sentir falta total até de Deyvid Sacconi como opção).

Enfim, nós tentamos. Tivemos gols corretamente anulados, Kléber perdeu grande chance de canhota, mas faltas e escanteios abundantes continuaram mal batidos. Final de jogo, placar igual. Mas fomos superiores.

O MELHOR
Kléber, disparado. Apesar de Lincoln ter atuado muito bem por uns 30 minutos, o Gladiador brigou o jogo todo. Tivesse um Ewerthon mais inspirado a seu lado e poderíamos vencer.

O PIOR
Não dá pra confiar em Armero em uma só jogada. Tirando o fato dele correr mais que todo mundo, ele costuma errar todos os cruzamentos e passes. Gabriel Silva merece voltar.

ARBITRAGEM
Não vou ser hipócrita e dizer que empatamos só por causa da arbitragem. E embora o gol impedido tenha feito toda a diferença (ou o resultado não foi 1 a 1?), o que mais me irritou foi Paulo César de Oliveira. Nem falo nada sobre as penalidade globais (na minha opinião nenhum dos dois lances foi pênalti), mas ele fez média o jogo todo.

Só para citar dois fatos básicos: ele deu um amarelo para cada defensor do Curintia (igonorando o rodízio de botinadas no Gladiador, mesmo quando Chicão deu duas pancadas seguidas em Kléber, claramente evitando problemas) e, quando deu os acréscimos, simplesmente ignorou um empurrão estúpido de Jorge Henrique fora do campo em Armero (deu um amarelinho pobre e acabou o jogo antes do tempo).

Uma dica? Vetem esse crápula. Sálvio Spinola e o irmão de Paulo César são muito melhores.

E AGORA?
Agora temos uma seqüência para voltar a vencer de qualquer maneira: o cobalido Goiás de Leão e o decadente Atlético/PR em casa. São seis pontinhos pra lá de possíveis, hein Verdão?

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

 

Ah, como é bom ver o Verdão vencendo de novo, Palestrinos!

Como todo apaixonado por futebol, eu não perdi nenhum momento da Copa do Mundo, mas nada se iguala a uma vitória do nostro Palestra. Os cantos, a festa, a raça, a gana, aquela sensação de que – ao contrário do que ocorre em jogos da Seleção – mais da metade da cidade está ouvindo nostro grito de gol caladinha. Isso é Palmeiras!

O JOGO
Na minha opinião, o 1º tempo do Palmeiras foi quase impecável. Exceto por algumas falhas da nostra defesa pelo alto (que deram dor de cabeça durante toda a partida), o time se comportou bem, teve vontade de jogar e mereceu aquele golazzo de Ewerthon logo aos 14 minutos – e a vantagem pelos primeiros 45 minutos.

Já  no segundo tempo, o Palmeiras voltou mais comedido e disposto a contra atacar. Sofreu alguns sustos (principalmente pelo alto), mas a tática deu certo assim que Tinga entrou no lugar de Lincoln e contou com o pé torto de Edu Dracena para ampliar.

As avançadas de Vitor junto com Márcio Araújo e o início de entrosamento do trio Kléber/Ewerthon e Lincoln foram animadores, embora Gabriel Silva ainda sofra bastante na marcação e saída de bola.

A partir daí, veio o recuo, vieram mais duas mudanças, sofremos um gol (adivinhem?, pelo alto), mas veio a vitória. Merecida.

O MELHOR
Pelo golazzo, a vontade e o entrosamento com os companheiros, Ewerthon.

O PIOR
Tá certo que Armero é um louco, mas quase todas as descidas do Santos foram pelo lado de Gabriel Silva.

E AGORA?
Agora tem o Avaí, neste domingo, às 16h. A única mudança no time deve ser a entrada de Maurício Ramos na vaga do suspenso Danilo (esse STJD é uma bagunça mesmo). No mais, espero ver a mesma pegada dos novos comandados de Felipão.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »