Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘impedimento’

O resultado não foi de todo o mal, Palestrinos.

Principalmente levando-se em conta que empatamos com gols na “casa” do adversário, o 2×2 diante do Patético Paranaense foi razoável. O jogo teve dois tempos completamente distintos – o primeiro deles, o segundo nosso – e só não passou deste resultado por causa da limitação técnica das duas equipes.

Os pontos positivos ficaram por conta da bela atuação de Barcos (que estava devendo), pelas ótimas entradas de Maikon Leite e Luan (velocidade pelos lados do campo é sempre a saída) e pela reação de Valdívia ao xingar o técnico imbecil que tentou agredi-lo (que seja suspenso por alguns jogos, ao menos). O negativo ficou por conta de toda a nostra defesa: a dupla de zaga fica clamorosamente fraca sem Henrique, os laterais tomaram bola nas costas o jogo todo e os volantes – principalmente Márcio Araújo – ficaram perdidos.

Agora, verdade seja dita, a arbitragem foi nojenta. A começar pelo impedimento mais do que claro de Guerrón bem na fuça do bandeira, passando pelo pênalti escandaloso em João Vitor e terminando na inversão de faltas que favoreceu o time deles o tempo todo. Existem erros e erros – eu sei -, mas alguns só podem ser mal intecionados.

No jogo de volta, semana que vem, cravo que passaremos de fase mesmo sem a presença de Barcos. E não será difícil, até porque eles terão que atacar e tem uma equipe mais limitada que meu cartão de crédito. Meu outro palpite é que, mesmo em um horário bisonho, nostra torcida irá comparecer em bom número em Barueri e incentivar o Verdão rumo às semi-finais. Pode cobrar depois.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Empate justo é o cazzo, Palestrinos!

Apesar de toda a imprensa alardear que o 1 a 1 de ontem foi justo, a grande verdade é que, mais uma vez, fomos superiores em 70 minutos de jogo, mas não vencemos. Assim como foi contra o Botafogo e assim como foi contra a própria gambazada no Paulistão deste ano.

Dá pra falar que a equipe jogou muito? Claro que não. Mas descontada a falha do bandeira, a covardia da arbitragem diante das botinadas do Curintia e o levand0-se em conta o volume de jogo, merecíamos a vitória. Mas futebol é assim, a gente sabe.

O JOGO
Estranhamente confuso, o Palmeiras assistiu a equipe de Adílson jogar nos 20 primeiros minutos. E só foi acordar depois de tomar o gol em rápido contra ataque (Pierre poderia ter feito a falta no meio-campo, mas, sabemos, não é da índole dele). Daí pra frente, com a bola no chão, passamos a dominar a partida.

Lincoln começou a distribuir bem o jogo, Kléber continuou brigando sozinho na frente e Vítor tentava subir quando podia, enquanto Armero, com muita liberdade, errava tudo o que fazia. Foi então que o Curintia começou a distribuir caneladas a torta e à direito e, martelando em cobranças ruins de falta, chegamos ao empate. Cabeceio de Kléber, rebote, gol de Edinho.

Ainda antes do intervalo, uma bela de uma falta a nostro favor e, com Assunção no banco, vimos que a coisa fica mesmo feia. Vamos treinar mais, pessoal!

O 2º tempo pouco mudou no panorama geral. Na verdade, a grande mexida de Felipão foi tática: colocar Márcio Araújo pela esquerda, segurando o colombiano doido na defesa, enquanto Vítor tinha a cobertura de Pierre para subir pela direita. E quando Lincoln saiu cansado, ficou claro que falta outro meia no elenco (Tinga é segundo volante, Patrik ainda é garoto, a novela Valdívia ainda vai custar 1 mês sem o Mago em campo e ontem deu pra sentir falta total até de Deyvid Sacconi como opção).

Enfim, nós tentamos. Tivemos gols corretamente anulados, Kléber perdeu grande chance de canhota, mas faltas e escanteios abundantes continuaram mal batidos. Final de jogo, placar igual. Mas fomos superiores.

O MELHOR
Kléber, disparado. Apesar de Lincoln ter atuado muito bem por uns 30 minutos, o Gladiador brigou o jogo todo. Tivesse um Ewerthon mais inspirado a seu lado e poderíamos vencer.

O PIOR
Não dá pra confiar em Armero em uma só jogada. Tirando o fato dele correr mais que todo mundo, ele costuma errar todos os cruzamentos e passes. Gabriel Silva merece voltar.

ARBITRAGEM
Não vou ser hipócrita e dizer que empatamos só por causa da arbitragem. E embora o gol impedido tenha feito toda a diferença (ou o resultado não foi 1 a 1?), o que mais me irritou foi Paulo César de Oliveira. Nem falo nada sobre as penalidade globais (na minha opinião nenhum dos dois lances foi pênalti), mas ele fez média o jogo todo.

Só para citar dois fatos básicos: ele deu um amarelo para cada defensor do Curintia (igonorando o rodízio de botinadas no Gladiador, mesmo quando Chicão deu duas pancadas seguidas em Kléber, claramente evitando problemas) e, quando deu os acréscimos, simplesmente ignorou um empurrão estúpido de Jorge Henrique fora do campo em Armero (deu um amarelinho pobre e acabou o jogo antes do tempo).

Uma dica? Vetem esse crápula. Sálvio Spinola e o irmão de Paulo César são muito melhores.

E AGORA?
Agora temos uma seqüência para voltar a vencer de qualquer maneira: o cobalido Goiás de Leão e o decadente Atlético/PR em casa. São seis pontinhos pra lá de possíveis, hein Verdão?

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

 

O resultado em si foi justo, Palestrinos.

Injusto foi a forma vergonhosa com que o Barueri-Prudente fez o seu segundo gol na partida. Apesar de estar jogando melhor no momento e de ter sido pênalti – bobeira total do Danilo -, nada justifica o árbitro não marcar um impedimento tão claro.

O JOGO
Mais organizado em campo, o time da casa deu trabalho para o Verdão. Com o tal de Tadeu (aliás, seria ele irmão daquele Nunes, do Santo André, que só joga contra a gente?) inspirado, cada ataque era um Deus nos acuda. E o principal motivo era ele, Armero. Errando mais passes do que nunca, todas as jogadas de perigo foram nas suas costas – incluindo o gol de Flavinho.

Justiça seja feita que Marcio Araujo e até Pierre estavam perdidos na marcação, mas o colombiano estava mesmo uma desgraça ontem. Por sorte, em um lance matreiro, Deyvid Sacconi chutou de longe, a bola desviou e entrou. Empate feito, o Palmeiras melhorou e o primeiro tempo acabou.

No segundo, o Palmeiras continuou errando passes e tomou sufoco no início. O que não justifica, é claro, o que aconteceu no bizarro lance do segundo gol do time de Presidente-Alphaville. PC Oliveira, tal qual PC Farias, roubou a todos nós. E a saída foi buscar o empate na raça, com uma cabeçada de Dieguito.

Ainda em tempo, as mexisdas de Muricy foram tardias, mas foram boas. E o empate ficou de bom tamanho.

O MELHOR
Diego Souza, pela vontade de decidir.

O PIOR
Armero, e nem preciso explicar.

ERROS
Além do da arbitragem, destaque para os erros de passe do Verdão e para a demora em mexer do Muricy.

EDMÍLSON
Para quem ainda não sabe, Edmílson rescindiu seu contrato com o Palmeiras. E não fará falta, já que estava claramente fora de forma física, além de não ter se adaptado a um time que precisa ser rápido. O que fica de positivo foi a atitude do jogador que, ao contrário de saláfrarios como Vágner Love, foi até a diretoria e disse que sabia ser caro demais pelo que estava rendendo.

Boa sorte pra ele em outro clube.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »