Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘marcelinho’

Você certamente se lembra da imagem acima, Palestrino.

Tenha visto ao vivo ou pela TV, é certo que você ao menos ouviu falar deste gol de Ronaldo contra o Corinthians. Era 1974, a fila deles já durava duas décadas e o empate que daria o título paulista para eles estava perto de acabar com aquele incômodo – e delicioso – jejum. Só que, aos 24 minutos do segundo tempo, o homônimo do goleiro e do atacante que jogaram por lá acabou com o sonho.

Já faz 40 anos, mas, admita: isso ainda está bem vivo para nós.

Quem ilustrou este tento foi Marco Sousa, um apaixonado por futebol que ilustra gols há muitos e muitos anos. Sua vida, aliás, é dedicada ao futebol e à alegria máxima que ele produz. Qualquer apaixonado pelo esporte sabe disso.

Por isso, peço que vocês conheçam o trabalho do Marcão e, se possível, contribuam para seu projeto. O trabalho é sobre todos os tentos marcados pela Seleção Brasileira nas Copas em que vencemos (além da histórica em 1982) e você pode ajudar com qualquer quantia.

Eu já ajudei e peço que você faça o mesmo. Basta clicar acessar https://www.startando.com.br/golsilustrados e fazer a sua parte. Senão perigamos de ver perdidos gols como os de Ronaldo e Alex Cabeção – ou mesmo aquela defesa de São Marcos, que fizeram a alegria de tantas gerações.

1690619_592945384119449_853722065_n 1926650_592945287452792_1429384295_n

Siamo Palestra!

ROJAS.

Anúncios

Read Full Post »

A derrota de ontem foi doída, Palestrinos.

Afinal, cair em casa, para um time pequeno, com um gol aos 39 do segundo tempo, nunca vai ser algo fácil de se lidar. Agora, pelo amor de San Genaro, calma com a andança: o ano não acabou.

É mania nostra sair procurando culpados. Uns vão xingar o Kleina (que colocou Vinícius e Valdivia baleado), outros vão dizer que a culpa é da diretoria (que não trouxe lateral-direito e centroavante reservas), outros crucificarão até Bruno (dizendo, sem conhecimento algum de causa, que o chute era facilmente defensável). Pois bem, amicos, não é hora pra isso.

Ontem, exceto por uns 15 minutos de lucidez, o Palmeiras foi muito mal em campo. O time, que já não contava com Valdivia e Wendel – lesionados pelos brucutus do Bragantino -, perdeu também Kardec e Prass por lesão. Em outras palavras, perdemos os poucos jogadores que podem fazer a diferença quando as coisas apertam (inclusive pelo prisma da liderança e confiança).

Me desculpem os torcedores que adoram colocar a culpa nas costas de um de outro jogador, mas, ontem, perdemos todos.

Só gostaria de lembrar a todos que, no início do ano, nenhum palmeirense esperava nada demais deste elenco. Ou alguém aqui cravaria um início de ano com 13 vitórias, 2 empates e 3 derrotas?

A diretoria está ciente de que nostro elenco precisa, sim, de alguns reforços pontuais. Kleina precisa rever algumas decisões de banco também (Tiago Alves, Mendieta e Vinícius valem a pena?). Da mesma forma, alguns jogadores – como Leandro e Wesley – precisam colocar a cabeça no travesseiro e repensar o que têm feito dentro das quatro linhas. Mas, repito: o ano não acabou.

Temos Copa do Brasil e Brasileirão pela frente. São muitos jogos ainda. O centenário segue vivo e nós temos que viver com ele. Caso contrário, morreremos todos nós com um tombo que foi grande como Itú, mas bem menor que o Palmeiras.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Hoje é um dia especial, Palestrinos.

Para muitos, aliás, é o dia mais especial de suas vidas. Eu não diria tanto, mas certamente é um dos dias mais memoráveis da minha existência. O fato é que, em maior ou menor intensidade, o dia 06 de junho é especial para todos nós. Afinal, 12 anos atrás São Marcos de Palestra Itália derrotava o anticristo do futebol tupiniquim com uma só mão.

O lance é emblemático, lindo, inesquecível. Havia ali tanta coisa em jogo, tantas histórias reunidas, tantos nervos a beira da explosão que nem Hitchcock construiria o roteiro daquela noite. Noite de Morumbi abarrotado, dividido. Noite em que um time mais modesto e muitíssimo mais brigador virou um jogo quase perdido através do atleta menos esperado. Ah, se o Dida falasse…

A verdade é que após 9 cobranças convertidas de ambos os lados, pouca gente esperava que a disputa terminasse na décima penalidade. Especialistas batem o último pênalti, especialistas têm sangue frio. E talvez seja isso que explique a soberba de quem chuta a bola e já sai para comemorar sem nem saber o que de fato vai acontecer.

E naquele segundo, amigos, a Terra parou. O único em movimento era aquele camisa 12, o santo calvo de túnica verde, o autor das defesas impossíveis, o homem que fez a festa de uma massa alviverde usando apenas com o punho direito. Um verdadeiro herói.

Feito que, até pelo número emblemático que levas, merece ser destacado no dia de hoje. Seis de junho de 2012, o dia em que o futebol fez justiça com as próprias mãos.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Que jogo sofrível, Palestrinos…

Ontem, mais uma vez, o Pacaembú assistiu a um festival de erros medonhos de ambos os lados. Foi um show de horrores e de maus tratos a bola e história do “Choque Rei”. E se o tal de Lucas não resolve jogar bola, a partida estaria zero a zero até agora.

O JOGO
Com os dois times tropeçando na bola, o primeiro tempo foi de doer. A não ser por alguns lances individuais e pelo lance da expulsão de Felipão (falarei mais abaixo sobre ela), daria pra ter dormido 45 minutos e acordado no intervalo. As duas equipes conseguiram ser inoperantes ao extremo.

Na segunda etapa, o jogo voltou igualmente ruim. Mas, aos 10 minutos, um chutão de Ceni e a categoria do tal de Lucas mudaram o jogo e a bambizada abriu o placar. Felipão então resolveu escancarar corretamente o time, porém mexeu muito mal com a entrada do sempre nulo Luan. E na base dos contra ataques o SPFW fez o segundo e poderia até ter feito mais.

Já o Palmeiras… o Palmeiras continuou maltratando a bola e a massa.

O MELHOR E O PIOR
Dentre os menos piores, fico com Valdívia, que ao menos chamou o jogo. Já na lista dos piores, impossível não destacar a alta performance de Tadeu, que foi anulado por Alex Silva.

A ARBITRAGEM
É claro que o árbitro não decidiu o jogo. Mas também ficou claro que esse cara não pode apitar jogos importantes. Só um banana que nem ele deixa a barreira ficar pra frente do spray mal havia marcado a falta, expulsa Felipão por reclamar com seu time e ainda demora exatos 5 minutos pra tirá-lo de campo. Não tem jeito, o cara é ruim.

BEM-VINDO 2011
Agora é pra valer: acabou 2010, que venha 2011. Ainda temos a Copa Sulamericana, que vai rolar nesta semana, mas o ano já é nulo. Vamos torcer por menos sofrimento nos 12 meses que seguirão.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »