Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘reforço’

O papo está tão repetitivo que ficou chato, Palestrinos. Afinal, desde que o planejamento para 2015 começou e nós voltamos com força total ao mercado da bola, só se fala em uma coisa: chapéus.

O assunto começou ainda no ano passado, com a saída de Kardec para o SPFC (que de chapéu não teve nada, já que foi nostra diretoria quem o perdeu por conta própria) e seguiu-se nos casos de Dudu e Thiago Mendes (também envolvendo o time do Morumbi), além de Jackson (SFC), Leandro Pereira (SCCP) e agora, pasmem, até com patrocinador de camisa.

Pela paciência de San Gennaro, que coisa mais chata! Vá lá que o futebol vive de rivalidade, mas isso já atingiu um patamar insustentável. É totalmente normal que o foco fica voltado aos bastidores, enquanto os campeonatos não voltam, mas chegamos ao ponto de ter ficado ridículo.

Primeiro porque não contratamos nenhum craque de bola a ponto de poder jogar nada na cara de ninguém. Para se ter uma noção, no caso mais célebre de todos até aqui, trouxemos Dudu – um jogador com grande potencial e por enquanto é só isso mesmo. Entendo a zoação nos rivais, mas é algo pequeno demais pra um time do tamanho do Palmeiras. Segue o jogo, cazzo.

Segundo porque o que vale mesmo é o que vai acontecer dentro de campo. Lembra quando contratamos o Paulo Baier antes do SPFC? Não deu em nada. O que importa pra valer – dentro e fora de campo – são os resultados. Se Dudu decidir jogos importantes (e a torcida é para que isso aconteça, seja pelos pés dele ou de qualquer outro dos reforços), ótimo; mas até isso acontecer, guardemos a animação pra soltar na hora certa.

O elenco de 2015 promete dar grandes alegrias a toda a nostra massa.
Mas chapéu bom de verdade é este aí debaixo.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Anúncios

Read Full Post »

Cristiano Ronaldo, Messi, Naymar? Que nada. Pelo menos aqui em São Paulo, o assunto da semana responde pelo nome de Eduardo Pereira Rodrigues – o “Dudu”.

Em bem da verdade, tudo aconteceu tão de repente que, do dia pra noite, parecia que o jovem atacante que atuou pelo Grêmio no Brasileirão era o novo Pelé. A bola de neve começou quando, por dias e dias, SCCP e SPFC se digladiaram pelo atacante nos microfones e bastidores. Um dizia estar por detalhes com o clube, outro que faltava apenas o jogador assinar. Foi quando, ainda mais que de repente, o Palmeiras surgiu do nada e anunciou a contratação de Dudu.

Daí, óbvio, a maré virou. Afinal, nós que acompanhávamos tudo a distância, comemoramos a chegada de um bom titular para a temporada 2015; enquanto isso, os torcedores dos outros dois clubes – que ficavam se alfinetando a cada mudança na negociação – mudaram totalmente de opinião e “agradeceram” ao Palmeiras pelo negócio.

Mas, convenhamos, nada mais natural.

Primeiramente porque, de fato, Dudu não é um fora de série. É um jovem com potencial, teve um início de carreira excelente no Cruzeiro, mas preferiu os euros da Ucrânia e desapareceu. Mesmo em 2014, sob a batuta de Felipão, foram apenas 5 assistências e 3 gols no campeonato nacional. No entanto, isso não faz dele um mau negócio. Longe disso. O atleta tem velocidade acima do normal (segundo Muricy Ramalho) e foi o melhor driblador da temporada passada (segundo o Footstats). Não sei o que pensam os outros, mas nós, definitivamente, precisávamos disso.

O segundo motivo é ainda mais implacável: a rivalidade. Nunca vai haver uma só contratação em que dois ou mais rivais se envolvam, sem que o lado que fique sem o possível reforço encontre defeitos na contratação. “Ele é enganação, é caro demais, tem menos de 1.70m, só atua bem em domingos de sol, usa Crocs, passa férias em São Vicente e blá blá blá”. Isso faz parte do mundo do futebol, é gostoso e ajuda a alimentar a mesa de bar e as redes sociais neste início de ano modorrento. Aliás, só lembrando o que o nonno do nostro nonno já dizia: quem desdenha quer comprar (ou melhor, queria).

Por fim, o terceiro ponto desta saga é todo pintado de verde e branco, e responde pela alcunha de “orgulho”. Exatamente isso que você leu: orgulho. Pode parecer exagero, mas quem é palmeirense sabe a importância de se entrar em uma negociação complicada como essa tantos anos depois, ver o clube agir em silêncio (interna e externamente) e conseguir sair vitorioso pra cima de outros que – por motivos variados – se acham constantemente acima do bem e do mal.

Em suma, sendo extremamente sincero, pode ter sido apenas uma boa contratação. Mas foi uma daquelas que sacode o mercado, lota a banca de jornal, faz o café da empresa parecer uma mesa redonda e faz crescer as nossas esperanças de um Palmeiras melhor em 2015.

Se vai dar certo ou não, só o tempo dirá. Ou alguém já se esqueceu o que já falaram sobre o incrível Pato ou internacional Álvaro Pereira? Fiquem a vontade, amigos: o chapéu – bem como o choro – é livre.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Prazer, Palestrinos: Andre Luiz.

Zagueiro-zagueiro, 33 anos, os últimos oito no modesto Nancy, da França. Olhando assim, a primeira vista, creio que todos nós diremos “Dio mio, é outro Leandro Amaro!”; mas fui buscar algumas informações e acho válido esperarmos um tempo antes de atacar a diretoria.

Revelado, mas pouco apresentado pelo Cruzeiro, ele foi para o Atlético/MG e de lá acabou se transferindo para o Nancy. Desde então jogou 208 partidas, fez 15 gols, foi expulso apenas 4 vezes e se tornou o capitão da equipe. Uma equipe quem, diga-se, nunca fez grandes campanhas, mas sempre perambulou pelo meio da tabela do Campeonato Francês.

O que mais me faz ter esperança na contratação dele, entretanto, não são os números, mas sim o caráter.

Passando por dificuldade já faz alguns anos, o seu clube perdeu seus melhores jogadores para outros grandes centros da Europa. Andre Luiz, porém ficou. E ficou até o limite. Só está de saída porque seu salário era o mais alto da equipe e o Palmeiras o procurou. Daí, como alivia a crise financeira do clube e também o dá tranquilidade, o zagueiro se mudou para o Verdão (veja o vídeo de despedida dele aqui).

Se é um bom jogador só mesmo o tempo irá dizer. Mas caráter ele tem de sobra. Já é um bom começo para uma equipe em reconstrução.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Existe vida pós-título, Palestrinos.

E é exatamente com esta vida que temos que nos preocupar. A lista de objetivos não é longa, mas é extremamente importante: se recuperar no Brasileirão, acertar o grupo que irá jogar a Libertadores-2013 e renovar contrato com Felipão.

A recuperação no Campeonato Brasileiro não anda fácil. Para o jogo de amanhã, diante dos coxinhas, lá no salão de festas Paraná, são nada menos que 11 desfalques. Em meio a contusões e suspensões, não teremos um time inteiro e ainda por cima um técnico – já que Felipão também assistirá de fora.

É aí que, infelizmente, me obrigo a falar deste câncer chamado Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Um órgão cego, comandado por uma anta, que simplesmente lê súmula e bate martelo sem nem saber o que é o futebol. Segundo os relatórios liberados ontem, por exemplo, Scolari foi suspenso por aplaudir o árbitro e Valdivia por ter ameaçado jogar a bola no rosto de um adversário e por ter desferido uma pseudo-cotovelada.

Entendam: não é se sentir perseguido; eu só quero que todos entendam o mal que esse maldito tribunal faz ao já tão administrativamente prejudicado futebol brasileiro.

E lá vamos nós para Curitiba tentar nos reerguer novamente contra tudo e contra todos. Na bagagem levaremos ele, o bom e velho Obina, opção de Felipão para compor o elenco. Longe de mim falar mal de Betinho, mas, cá entre nós, o Eto’o soteropolitano tem mais rodagem e corpo para fortalecer nostro ataque.

O outro reforço anunciado é Netinho, meia-esquerdo de 21 anos, contratado por um período de experiência – tal qual seu quase homônimo Betinho. Abaixo você assiste um vídeo do rapaz que, pelo jeito, não é nenhum craque de bola (embora lembre o jeito de jogar do Pedrinho), mas pode ajudar um time que vive de Daniel Carvalho, Felipe e Patrik a sombra de Valdivia. Além disso, antes apostar em um cara “custo zero” do que sair por aí contratando Renatos Cajás e afins.

Vamos, Palmeiras, entrar de vez no século XXI!

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Prazer, Ivo.

Chegaram mais dois reforços, Palestrinos.

Um deles já era bastante esperado e responde pelo nome de Ewerthon, 28 anos, atacante, ex-gambá e com muito anos de experiência na Europa. O outro foi surpresa total: Ivo, 23 anos, meia ex-Juventude, que chegou de graça e foi indicado por Antônio Carlos.

Fiquei intrigrado com o garoto e fui procurar referências. Eis-la:

Pelas imagens e pela referência que ele contou ter (ninguém menos que Alex Cabeção), pode ser uma bela opção de banco junto com Deyvid Sacconi. Bem vindo, Ivo. E não se esqueça que aqui é Palmeiras.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Parece que chegou o nostro prometido atacante, Palestrinos!

E Marcelo Moreno é o nome dele. A informação foi dada pelo LANCE! e, apesar de não ser oficial, casa com todas as informações que nostra diretoria deu nos últimos dias: jogador de nível bom, cuja negociação seria delicada, mas que chegaria para ser titular.

Moreno apareceu no Vitória, brilhou no Cruzeiro e em pouco tempo foi comprado pelo Shaktar Donetsk. Na Ucrânia ele jogou bem, marcou gols, ganhou a Copa da UEFA e acabou emprestado para o Werder Bremen, onde – hoje – quase não é utilizado.

Ou seja, cumpre todos os requisitos para ser mesmo o nostro novo, digamos, camisa 11 (9 ele não é).

Pessoalmente, acho a contratação totalmente válida. Moreno é jovem, rápido, faz seus gols e ajudaria demais o Palmeiras em 2010.

E você, o que acha deste possível reforço?

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

mozart

Ok, pode ser um trocadilho de mau gosto entre o músico e o novo meio-campo do Verdão, mas o fato é que Mozart chegou para jogar.

Volante da linhagem dos dedicados, o ragazzo é aquele mesmo loirinho de cabelos encaracolados que apareceu no Coritiba, passou pela Seleção Olímpica de Luxa e depois passeou mundo afora antes de chegar ao Palestra.

Se é bom ou ruim, hoje, só San Genaro sabe. O menino vagou pela Rússia nos últimos anos e ninguém o vê jogar faz tempo. Todavia é bom ver que o Palmeiras – e não a Traffic – foi atrás de um reforço para a lacuna deixada por Edmílson e Sandro Silva.

Só espero que o fôlego dele, agora com 29 anos, ainda seja o mesmo.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »