Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘tadeu’

Teve jogo ontem, Palestrinos?

Claro que ninguém gosta de perder, claro que perder praqueles metidinhos da Baixada é um lixo e é óbvio que perder pro velho do paulo Baier me dá náuseas, mas, sendo sincero, a derrota de ontem não abalou ninguém. No máximo, serviu para termos alguns aprendizados.

E o primeiro deles é que São Marcos já deixou um discípulo garantido. Deola está em uma fase incrível, mais uma vez pegou demais e já é uma realidade. Quando nostro Marcone de fato parar (bate na madeira!), teremos alguém de peso para substituí-lo.

O segundo aprendizado é o de começar a preencher a lista de dispensas do final de ano. Eu sei que algumas dessas negociações são complicadas, envolvem multas e etc., mas já deu pra perceber que Tadeu não dá, que nostro guerreiro Pierre anda mesmo baleado e que Lincoln talvez tenha sido um investimento sem retorno.

Outro ponto é a se considerar é a falta de criatividade. Vá lá que Valdívia e Kléber façam muita falta, mas não dá pra depender só deles pro time render. É incrível o quanto o Palmeiras não cria quando joga sem ambos. Se esse papo de Alex de volta for verdade, manda uns 5 nêgo embora e já paga o salário dele, por favor!

Por último, mas não menos importante, um recado pra massa: esqueçam o Brasileiro, não cobrem mais o time por ele, o jogo der verdade é quarta-feira! E eu já consigo sentir o cheirinho de galinha a cabidela.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Anúncios

Read Full Post »

Que jogo sofrível, Palestrinos…

Ontem, mais uma vez, o Pacaembú assistiu a um festival de erros medonhos de ambos os lados. Foi um show de horrores e de maus tratos a bola e história do “Choque Rei”. E se o tal de Lucas não resolve jogar bola, a partida estaria zero a zero até agora.

O JOGO
Com os dois times tropeçando na bola, o primeiro tempo foi de doer. A não ser por alguns lances individuais e pelo lance da expulsão de Felipão (falarei mais abaixo sobre ela), daria pra ter dormido 45 minutos e acordado no intervalo. As duas equipes conseguiram ser inoperantes ao extremo.

Na segunda etapa, o jogo voltou igualmente ruim. Mas, aos 10 minutos, um chutão de Ceni e a categoria do tal de Lucas mudaram o jogo e a bambizada abriu o placar. Felipão então resolveu escancarar corretamente o time, porém mexeu muito mal com a entrada do sempre nulo Luan. E na base dos contra ataques o SPFW fez o segundo e poderia até ter feito mais.

Já o Palmeiras… o Palmeiras continuou maltratando a bola e a massa.

O MELHOR E O PIOR
Dentre os menos piores, fico com Valdívia, que ao menos chamou o jogo. Já na lista dos piores, impossível não destacar a alta performance de Tadeu, que foi anulado por Alex Silva.

A ARBITRAGEM
É claro que o árbitro não decidiu o jogo. Mas também ficou claro que esse cara não pode apitar jogos importantes. Só um banana que nem ele deixa a barreira ficar pra frente do spray mal havia marcado a falta, expulsa Felipão por reclamar com seu time e ainda demora exatos 5 minutos pra tirá-lo de campo. Não tem jeito, o cara é ruim.

BEM-VINDO 2011
Agora é pra valer: acabou 2010, que venha 2011. Ainda temos a Copa Sulamericana, que vai rolar nesta semana, mas o ano já é nulo. Vamos torcer por menos sofrimento nos 12 meses que seguirão.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

 

Deve ser um recorde, Palestrinos!

Em 20 jogos disputados até aqui no Brasileirão, conseguimos empatar metade. Acredito que nunca, na história do campeonato, um time empatou tantas vezes em tão pouco tempo.

E por mais óbvio que possa parecer a constatação de que este é o pior resultado logo após a derrota, não é. Afinal, se perdido 6 jogos e ganhado outros 4 durante este mesmo período, já teríamos dois pontos a mais na tabela de classificação.

No nostro caso, estes empates têm nome e sobrenome: medo de perder.

Quando sai na frente, o Palmeiras sempre recua. Sempre! É um tal de sair atacante e entrar volante, sair meia e entrar zagueiro, adiantar ala pra ser ponta… em mais da metade das oportunidades, o Palmeiras empata por puro medo de tentar ganhar o jogo. Se não, vejamos um a um todas as nostras igualdades…

. 0x0 Vasco (f): ainda que fora de casa, o Vasco é ridículo. Tanto que foi um dos piores jogos do ano. Dois pontos perdidos.
. 0x0 Prudente (c): empatar, em casa, com o Prudente/Alphaville é sacanagem. Mais dois pontos perdidos.
. 1×1 Inter (f): pelo jogo que foi e por ter sido no Beira-Rio, foi um ponto salvo.
. 2×2 Botafogo (c): vencíamos por 2 a 0 e tomamos o empate em dois gols de cabeça, em casa. Precisa dizer que perdemos mais dois pontos?
. 0x0 Ceará (f): empate  justo e, por ser no Castelão, digamos que foi um ponto ganho.
. 1×1 Corinthians (c): poderíamos ter ganho o jogo com um pouco mais de ousadia. Considera dois pontos perdidos.
. 1×1 Goiás (f): tomamos o empate aos 48′ do 2ºtempos. Nem vou comentar.
. 0x0 Guarani (f): aqui, pouco importa se foi fora. Perdemos dois pontos pra um time fraco.
. 1×1 Fluminense (f): sem dúvidas, um ponto ganho.
. 1×1 Vitória (f): tendo em vista o que foi o jogo, ganhamos um ponto.

Capicce? Vamos ganhar o jogo, Verdão, nós somos o time a ser temido!

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

 

Bem vindos de volta às vitórias Felipônicas, Palestrinos!

Desde aquele chute de Cleiton Xavier contra o Colo Colo, a mais de um ano atrás, na Libertadores 2009, que não sentíamos essa sensação. E é fantástica, incrível, indescritível! É de sair por aí gritando e pulando, ignorando qual é o torneio ou o adversário.

Afinal, mais do que um jogo, ganhamos de volta a nossa alma.

O JOGO
Apesar da posse de bola, começamos mal a partida. Diante de um Vitória completamente fechado, tivemos imensas dificuldades em armar qualquer tipo de trama ofensiva – e boa parte disso em função da nossa escalação com 3 zagueiros e 6 volantes. Márcio Araújo e Rivaldo, em especial, abusaram dos erros e nós fomos avançando na raça.

Foi na raça que saiu um chute bem defendido por Viáfara. Foi na vontade que saiu a cabeçada de Tadeu no travessão. E foi quase que na marra que o nostro camisa 20 conseguiu abrir o placar oas 47 do primeiro tempo. Ainda era pouco, mas era um começo.

Apesar de parecer ilógico manter a mesma equipe defensiva da primeira etapa, Felipão, ironicamente, só foi mexer logo após o segundo gol, quando Márcio Araújo chutou uma bola completamente errado, mas Tadeu chegou e deu bico pra fazer o segundo.

A partir daí, apesar de não ter parado, o Palmeiras cadenciou a partida. O Vitória resolveu tentar jogar e o que vimos foi muita bola presa no meio-campo, passes errados, mas, ainda assim, muita força de vontade. Foi então que veio o lance do jogo: 43 minutos, falta em Tinga, Marcos Assunção na bola…

Verdão classificado e de alma renovada.

O MELHOR
Sem dúvida nenhuma, a torcida. Cantou e vibrou os 90 minutos, como há muito tempo não se via.

Agora, quanto aos jogadores, nunca achei que escreveria isso, mas… Tadeu. Fora os dois gols decisivos e a bola no travessão, se movimentou o tempo todo.

O PIOR
Rivaldo
. No primeiro tempo foi melhor apenas do que Márcio Araújo; no segundo, foi pior que todo mundo (mas ainda assim, fez mais que Armero).

E AGORA?
Agora é ajeitar o time diante de Guarani (fora) e Atlético/GO (casa). Na minha opinião, se queremos jogar com 3 zagueiros, Vitor é a melhor opção pela direita e Kléber deve formar o ataque com Tadeu. E se tivermos um meia (Lincoln ou Valdívia), podemos manter Tinga, com Edinho e Assunção mais atrás.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Pouco a falar sobre ontem, Palestrinos.

Mais um jogo em que o Palmeiras simplesmente não conseguiu atacar nem sequer assustar o adversário e uma derrota mais do que merecida para um Vitória que jogou mal. O resultado foi justo e, na minha humilde opinião, teve o dedo de Felipão – que ainda está perdido em meio as opções do time.

Quem entra em campo para ganhar em um 4-4-2 onde todos os homens do meio de campo são volantes? Tudo bem que não tínhamos o Lincoln, mas Rivaldo definitivamente não era a resposta. E se quisesse fechar mais a equipe, que soltasse os alas (Vítor na direita e Rivaldo na esquerda) ou apostasse em jogar pelas pontas em velocidade (Ewerthon e Patrik abertos, Tadeu ou Luan centralizados).

Ninguém ganha jogo com 50 volantes.
Ninguém ganha jogo tentando ficar na defesa 90 minutos.
Ninguém ganha jogo colocando Max pra jogar.

Sábado a vitória é OBRIGATÓRIA. Apenas isso.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Lá se foi a Copa do Mundo, Palestrinos.

Triste para os limitados times de Brasil e Itália, feliz para o bem organizado futebol espanhol. Mas, enfim, acabou. E quinta-feira já tem batalha diante das Sardinhas no Pacaembú. Foram mais de 40 dias de treinamento e preparação no Palestra, onde muito se falou e, em prática, pouco se viu. A começar pelo comentarista número da Copa, Felipão.

FELIPÃO
O caso de nostro novo treinador é emblemático. Enquanto o mundo clama por ele na Seleção, nostra diretoria simplesmente se cala. É claro que eu acredito na palavra de Scolari e não acho que ele nos trairia agora assumindo o time da CBF, mas não custaria nada um membro da diretoria vir nos tranquilizar. Parece que têm medo dele mudar de idéia… lembrem-se da nostra grandeza, cazzo!

REFORÇOS
Kléber e Tinga foram duas belas contratações: ter o Gladiador e o destaque do Paulistão em nostro elenco irá reforçar a mediana base que temos. Tadeu já é mais polêmico, contudo acredito ser uma boa aposta devido às suas características de jogador de área. Armero voltou, mas não podemos considerá-lo reforço de maneira nenhuma.

VALDÍVIA
Esse é outro caso onde a incompetência de nostra diretoria grita. Já faz 2 semanas que se fala na volta do Mago, Balluzzo anunciou que o Al-Ain aceitou a proposta e, de repente, do nado, um diretor do clube arábe diz que não vão vendê-lo. Afinal de contas, qual a verdade?

DENTRO DE CAMPO
Em teoria, os 11 titulares pouco mudaram e a equipe desta quinta-feira deve ser a mesma de sempre e do amistoso da última sexta – com o bom reforço de Kléber. Tadeu é reserva, Tinga deve ser ao menos no início (eu o colocaria na vaga de Márcio Araújo) e Armero vai brigar pela lateral-esquerda com Gabriel Silva. Se chegar, Valdívia deve mandar ou Cleiton ou Ewerthon para o banco. Se chegar…

Enfim, não era aintenção deste post atacar nostra direção. Digo novamente que achei as contratações muito bem feitas. Mas nada me irrita mais do que ver diretores do campeão do século XX agindo como se representassem o Juventinho.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

 

O resultado em si foi justo, Palestrinos.

Injusto foi a forma vergonhosa com que o Barueri-Prudente fez o seu segundo gol na partida. Apesar de estar jogando melhor no momento e de ter sido pênalti – bobeira total do Danilo -, nada justifica o árbitro não marcar um impedimento tão claro.

O JOGO
Mais organizado em campo, o time da casa deu trabalho para o Verdão. Com o tal de Tadeu (aliás, seria ele irmão daquele Nunes, do Santo André, que só joga contra a gente?) inspirado, cada ataque era um Deus nos acuda. E o principal motivo era ele, Armero. Errando mais passes do que nunca, todas as jogadas de perigo foram nas suas costas – incluindo o gol de Flavinho.

Justiça seja feita que Marcio Araujo e até Pierre estavam perdidos na marcação, mas o colombiano estava mesmo uma desgraça ontem. Por sorte, em um lance matreiro, Deyvid Sacconi chutou de longe, a bola desviou e entrou. Empate feito, o Palmeiras melhorou e o primeiro tempo acabou.

No segundo, o Palmeiras continuou errando passes e tomou sufoco no início. O que não justifica, é claro, o que aconteceu no bizarro lance do segundo gol do time de Presidente-Alphaville. PC Oliveira, tal qual PC Farias, roubou a todos nós. E a saída foi buscar o empate na raça, com uma cabeçada de Dieguito.

Ainda em tempo, as mexisdas de Muricy foram tardias, mas foram boas. E o empate ficou de bom tamanho.

O MELHOR
Diego Souza, pela vontade de decidir.

O PIOR
Armero, e nem preciso explicar.

ERROS
Além do da arbitragem, destaque para os erros de passe do Verdão e para a demora em mexer do Muricy.

EDMÍLSON
Para quem ainda não sabe, Edmílson rescindiu seu contrato com o Palmeiras. E não fará falta, já que estava claramente fora de forma física, além de não ter se adaptado a um time que precisa ser rápido. O que fica de positivo foi a atitude do jogador que, ao contrário de saláfrarios como Vágner Love, foi até a diretoria e disse que sabia ser caro demais pelo que estava rendendo.

Boa sorte pra ele em outro clube.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »