Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Victor Hugo’

Vitórias, Palestrinos! Duas, pra ser mais exato.

Algo que olhando assim, a primeira impressão, nem parece ser digno de nota. Mas considerando que foram tipos de jogos totalmente diferentes – e que o Palmeiras tem oscilado demais durante o ano – é, sim, um fato para ser celebrado.

Diante do São Paulo, tivemos a confirmação de que a maldição dos clássicos acabou. Após algumas temporadas de derrotas e empates com os nostros principais rivais, 2015 está se firmando como o ano da redenção. O início de jogo não passou muita segurança, mas, a partir do momento em que abrimos o marcador, virou um baile. Contra ataques extremamente bem construídos, finalizações certeiras e seriedade na defesa que valeram os 4 a 0 e muita tranquilidade.

Já diante da Chapecoense, enfrentamos um estilo de adversário que tem sido nostro pior pesadelo: aquele que coloca onze na defesa e espera. Assim como esperado, o jogo foi complicado até que o gol saísse. Não jogamos bem como havíamos feito no domingo, mas foi bom ver um time que, além de volume de jogo, buscou o gol a todo o momento (algo que, com Oswaldo, era quase inexistente).

Destaque para os jogos seguros de nostros zagueiros (Victor Hugo tem sido de uma seriedade impressionante) e volantes (Arouca voltou ser Arouca), além de jornadas memoráveis de Egídio e Cristaldo. O lateral-esquerdo, que não tinha feito nada até semana passada, começou a jogar demais; já o argentino gordinho tem saído muito bem do banco e virou o novo amuleto da equipe.

Foram, enfim, duas partidas totalmente diferentes, mas igualmente vencidas. E é isso mesmo que precisamos: voltar a nos acostumar a vencer. Triunfos trazem confiança e confiança nos leva até o alto da tabela. Ainda é cedo para pensar em título, mas, a julgar pela atitude da equipe e pelo discurso de Marcelo Oliveira, podemos sonhar.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Mais dois pontos jogados fora dentro de casa, Palestrinos. E, na minha humilde opinião, o empate de ontem tem um motivo claro: nós não chutamos a gol!

Depois de empatar com os reservas do Galo e perder para o Goiás, ontem deixamos a vitória escapar novamente no Allianz Parque. Ao contrário das outras duas partidas citadas, no entanto, nessa jogamos bem. Com posse de bola e muito mais objetividade, Palmeiras 1 x 1 Inter foi um jogo aberto e repleto de chances. A vitória só não veio porque nós não finalizamos.

Assista novamente à partida e eu lhe asseguro que, seja qual for o momento ou o placar, você verá o Palmeiras circundar a área colorada sem chutar. Foram centenas de passes e uma dúzia de cruzamentos que não deram em absolutamente nada. Nos últimos minutos, aliás, trocamos tantos passes a poucos metros da baliza que parecia aquele futebol de rua, onde só vale gol dentro da área e por entre os chinelos.

E olha que este problema vem de longe! Não estou falando só desta quinta-feira, mas de toda a temporada. Oswaldo precisa pedir que a equipe arrisque mais. Jogando contra equipes sempre fechadas – especialmente dentro de casa, é preciso tentar de longe (ou mesmo de perto, contanto que se dê a chance de tentar).

É o famoso “quem não arrisca não petisca”. E, definitivamente, está na hora deste Palmeiras petiscar. Senão corremos o risco de brigar naquele modorrento meio de tabela novamente.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »

Atenção, Palestrinos: ao contrário do que anda dizendo o noticiário esportivo de 2015, nós (ainda) não temos um grande time.

A verdade é que estamos, antes de mais nada, remontando um time – que já é, sim, melhor que o de 2014. Mas muito embora este mês de janeiro tenha sido muito melhor em reforços do que foi o dos últimos anos, isto não significa que já temos um timaço agora. É preciso ter calma.

Afinal, nostros “craques” até aqui respondem por Lucas, João Paulo, Victor Hugo, Andrei Girotto, Amaral, Zé Roberto, Robinho, Dudu e Leandro Pereira. Sendo sinceros, um pouco acima da média, mesmo, só temos a dupla que chegou do Grêmio. O restante faz parte de remontar um elenco carente de qualidade e confiança.

A principal mudança desta temporada, ao meu ver, é a atitude da nostra diretoria.
Demorou, mas parece que lembraram qual é o tamanho do Palmeiras.

A achegada de Mattos e Cícero acordou os bastidores no Palestra Itália. Fez todos voltarem seus olhos para o clube novamente, enxergando o Verdão como ele nunca deveria ter deixado de ser visto. Somos gigantes, imponentes, os campeões do século XX. Se até ano passado só jogador apagado nos procurava, agora tem empresário ligando sem parar para a Academia. E este é o tipo de respeito que só se conquista dentro de campo se o conquistarmos também fora dele.

É claro que não podemos fazer loucuras, mas também não dá pra se conformar com jogadores que sobram nas outras equipes. Precisamos mesclar reforços jovens e com apetite àqueles que já são realidade e podem dividir a responsabilidade com jogadores como Prass e Valdivia.

Dá pra sonhar com um 2015 melhor.
Dá pra sonhar com nostro Palmeiras de volta.

Siamo Palestra!

ROJAS.

Read Full Post »